Ela

"Ela acordou e sentiu-se num desespero enorme. Parecia que nada fazia sentido, por mais que ela pensasse e analisasse as diversas faces do que tanto queria enxergar.
Abriu seu guarda-roupa, puxou uma mochila já antiga debaixo da cama, enfiou-lhe algumas roupas e foi pra rua. Ela não sabia se iria voltar, não sabia se queria mas simplesmente foi.
Andou como que perdida por várias horas e encontrou um lugar calmo, onde não havia ninguém além dela mesma e seus fantasmas.
Mesmo com todo aquele jeito de não ligar para as coisas, aquele jeito forte que todos admiravam, a menina perfeita tinha lá suas fraquezas e chorou.
Sua personalidade era tão forte que não se permitia chorar, até mesmo seu choro mostrava sua essência, escorriam apenas algumas lágrimas que molhavam sua regata e machucavam como se fossem ácidas.
Ela estava confusa. Todo seu legado parecia perdido; mas bobagem.
Ela sempre chamou atenção da forma mais discreta. Ela pensou que não conseguiria jamais entender o que estava acontecendo com ela, então enxugou as lágrimas, ajeitou sua roupa, pôs a mochila nas costas e voltou a fazer seu percusso: prometeu no meio do caminho jamais sofrer assim, tão calada, tão sem motivos de novo.
Talvez ela tivesse seus motivos, mas jamais os assumiria pra si mesma. Mas seu jeito era esse e ponto.
Durante o percurso, brincou de ver formas nas nuvens e deu um sorriso singelo ao pensar que estava sendo tola. Talvez estivesse.
Ao ver um coração numa nuvem, que logo se partiu, quis voltar à aquele lugar calmo novamente.Enxergou literalmente o motivo de todo seu problema.
Ela era forte como um touro, era ela mesma, era arrogante do jeito mais doce, ela era eu."

6 comentários:

  1. Nossa! Muito lindo. Era tudo que eu queria ter escrito *-*
    Parabéns!!
    :*

    ResponderExcluir
  2. Descrever personalidades é algo extremamente complexo, não gosto de descrever pessoas, é uma tarefa de muita responsabilidade.
    Parabéns, vc o fez muito bem...
    Não sou muito parecida com ela, ou com vc, sei lá... rsrs
    sou menos arrogante e as vezes um pouco boba demais pra pensar em não chorar.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelo comentário no Delírios e Paranóias. ^^
    ___
    Eu também já escrevi um texto falando "dela" sendo que ela era eu.
    Isso é bom.. Falarmos de nós mesmas como sendo "outra pessoa".. Não sei, parece que fica tudo mais fácil!

    Ficou perfeito e nos passa um tamanho realismo..

    Parabéns! ^^

    ResponderExcluir
  4. Ah, e eu estou participando do Big Blog Brasil, e o dono do blog disse pra eu divulgar para blogs que sejam bons! ^^
    Se você estiver interessada, inscreva-se! ^^
    http://www.crazysdemais.com/2011/01/big-blog-brasil-inscreva-se.html

    ResponderExcluir
  5. Muito lindo o post.
    Me identifiquei bastante :)

    Obrigaada *-*
    fico feliz que tenham ficado bons *emocionada*

    ResponderExcluir

Olá! Peço para que ao final de seu comentário você deixe o link de seu blog para que eu possa retribuir a visita. Retribuo todas as visitas! Obrigada por comentar! :D

« »