Again and again (...)


Entre a constante de um gole a outro, um trago. Um estrago perfurando a própria alma. Dentro de uma caneca, a solução degustada no amargo.
Pouca areia doce, pra variar tanto quanto o próprio humor. Sem rumo, perdida... Exalando uma vibe totalmente alternativa. Buscando algum motivo pra ficar de mal com a vida e torcendo o nariz ao perceber o rádio travar.
Redirecionada a outra dimensão, estendendo bem os dedos para alcançar um novo patamar e eis que consegue: reinventa-se.
A mudança começa "aqui dentro" e grita tão forte aqui no meu silencio...
Toda mudança é boa, mas somente a quem muda. Ela atinge seriamente as pessoas ao redor e nem sempre é por bem. Mudar a própria maneira é um risco que eu me proponho a correr.
Do que adianta ter asas e não querer voar? Tolice.
Enquanto houver escolha, eu me moldo como quiser! Se convier, aceite... Se não agradar ao menos respeite. Respeite...

3 comentários:

  1. Interessante, curioso o texto hein?
    Parabéns!
    Beijos
    Eu! Leilinha

    ResponderExcluir
  2. Olá preciosa Vanessa
    Agradeço o seu carinho na minha página
    e deixando aqui o Selinho>
    http://1.bp.blogspot.com/-iY81Tgj3mCE/T9DhaSMRhJI/AAAAAAAAIxc/r6voeSrHWLc/s379/SELO.jpg
    Pra voce postar no seu blog, carinho do meu blog ao seu Blog.
    Um cheiro
    Eu Leilinha

    ResponderExcluir
  3. Adorei conhecer seu espaço!
    Diferente...criativo ... foge do comum.
    Parabens...
    vera portella

    ResponderExcluir

Olá! Peço para que ao final de seu comentário você deixe o link de seu blog para que eu possa retribuir a visita. Retribuo todas as visitas! Obrigada por comentar! :D

« »